manhã de sol com azulejos [mais chico alvim]

agosto 29, 2011 § Deixe um comentário

Tudo se veste da cor de teu vestido azul

Tudo — menos a dona do vestido:

meus olhos te passeiam nua

pela grama do campo de golfe

 

Uma curva e ei-nos diante de meu coração

 

Não amiga

não temas;

meu coração é apenas um chapéu surrado

que humildemente

estendo

para colher um pouco da tua graça distraída

de teu dia

[ALVIM, Francisco[

Anúncios

Umas e Outras [todas, todas as outras]

dezembro 13, 2009 § 1 comentário

completa, aqui.

%

junho 18, 2009 § Deixe um comentário

Cartas

chegando sempre com o mesmo jeito

pedindo resposta

Querido Querida

(a vida sendo ouvida vista

para ser contada)

O ausente

sucumbido sob a culpa de tanta ausência

tenta extrair-se num assunto

Palavras que se escrevem balançam sua mão

[ALVIM, Francisco[

Criatura

abril 1, 2009 § 12 Comentários

Vai embora não

Vem cá

Não me põe doente não

Se não era pra ficar

pra que que veio?

 

     [ALVIM, Francisco[

O que foi dele?

março 31, 2009 § 9 Comentários

Nós não brigávamos

Combinávamos demais

 

    [ALVIM, Francisco[

Leopoldo

março 30, 2009 § 2 Comentários

Minha namorada cocainômana

me procura nas madrugadas

para dizer que me ama

Fico olhando as olheiras dela

(tão escuras quanto a noite lá fora)

onde escondo minha paixão

Quando nos amamos

peço que me bata

me maltrate fundo

pois amo demais o meu amor

e as manhãs empalidecem rápido

 

      [ALVIM, Francisco[

Um poder

março 9, 2009 § Deixe um comentário

Há um poder mais agradável

que o de corromper?

[ALVIM, Francisco[

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com Francisco Alvim em Manter em cárceres privados..