Memória e Fado

junho 14, 2009 § 1 comentário

Por que o sonho terminava
Quando o dia amanhecia
No espelho
Vinha um medo desse gosto morto do passado
Mergulhado na memória
Eu não queria que a vida findasse no abismo desse quarto
Amargando amargurada solidão

Por que a hora se esvazia
Na memória do espelho
Como um fado
Teço o fio do meu sonho cheio de mistério
Um rosário de silêncio
E a minha boca fechada com medo das sombras desses anjos
Que se foram e não voltam nunca mais

                    [GISMONTI, Egberto[

Egberto Gismonti – Sete Anéis

maio 8, 2009 § 1 comentário

 

 

 

tipo, só isso.

Ano Zero

abril 6, 2009 § 1 comentário

José despertou com
A noite e o nada
Apenas uma mulher
Junto à mesa de jantar
O que fazer, José
É hora de partir
Na escuridão
É hora de fugir
Como os ratos fogem do chão
Como um cigano dentro da 
escuridão
Como um marinheiro torto sem 
rumo no mar
O vinho lhe subia à cabeça
E o sonho queimava o coração
Junto à mesa de jantar
O que fazer, José?
Sentar pra esquecer
E esperar
Que ela num sorriso
Vá servir a mesa de dor
Que ela faça o prato e não se
esqueça do pão
Afogar as mágoas com muito arroz e 
feijão

 

    [GISMONTI, Egberto[

 

/ouçam essa música.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com Egberto Gismonti em Manter em cárceres privados..