Vocalise-Ètude – G. Faurè

fevereiro 27, 2011 § Deixe um comentário

quê que a gente faz depois de uma coisa linda dessa?

Anúncios

os olhos têm [a medida de tudo]

fevereiro 27, 2011 § 1 comentário

é aquela coisa: se você sabe o tamanho do caminho muitas vezes não consegue terminar (é sempre muito longo). se não sabe, também não continua porque tem medo do risco.

daí a gente tem o poema, a poesia, o filme, a música, a foto que a gente posta na internet pra poder dizer por meio de outros que você é do seu único jeito e que ninguém mais é como você. a preguiça é tão igual que a gente inventa a obrigação pra poder mexer na vida.

 

/mas não mexe demais, meu filho. depois cê não vai lembrar onde é que colocou

dewy sunday morning

fevereiro 27, 2011 § Deixe um comentário

uma idéia espontânea é uma idéia que você colocou num jarro pra ver se brota?

rifa [todo dia, ele pensa]

fevereiro 26, 2011 § Deixe um comentário

mas em todas só tem ela, ela e ele. Ela. são tantas dela (tanta coisa dela) que ele não é sem ela.

 

/aliás, ele acha que se ele fosse ela, também não gostaria de ser com ele.

‘eu to por aqui…

fevereiro 6, 2011 § 1 comentário

…qualquer coisa você fala comigo’.

/silêncio, vontade e o pensamento de que se há alguma certeza pra ele, é ela.

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para fevereiro, 2011 em Manter em cárceres privados..