no céu do meu netuno

janeiro 14, 2010 § Deixe um comentário

acho que já até passou pela cabeça de muita gente (e só falo disso porque imaginei, porque acho; não porque há fatos, deixo claro) encostar a cabeça na cabeceira de alguma cama e falar do suspiro ou da grande respiração que diz tudo o que há para ser dito naquela hora, que te convém, que te convém como mundo e sociedade, não mais como indivíduo, não mais como parte — como todo, como confuso, intangível, sem poesia pra falar de poesia, pensamos — aquele segundo de referência à qualquer coisa que o valha, por um texto que você leu num caderno surrado, num livrado de poeira da faculdade ou naquele dvd também disponível em blu-ray. no meu quarto, eu tenho disso; no céu do meu netuno, no meu místico que eu deixo de fora, agora.

/mas que ainda não é plutão.

Anúncios

Marcado:,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento no céu do meu netuno no Manter em cárceres privados..

Meta

%d blogueiros gostam disto: