por favor, pára [2]

setembro 9, 2009 § 1 comentário

agora lê

Carrego a palavra mansa que me acalentou

Quando era o fim.

Possuído das flores de novembro,

Tentei mais amor do que podia,

Mas eu sofri.

Na queda, a exortação do sábio veio a mim.

[IANELLI, Mariana[ – poemas para epitáfios

Anúncios

Marcado:, ,

§ Uma Resposta para por favor, pára [2]

  • Juliana disse:

    Muito bom ler seus textos de novo, muito bom MESMO!
    PS: também fiquei felicíssima por descobrir aqui poemas do Quintana, sou apaixonada por ele.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento por favor, pára [2] no Manter em cárceres privados..

Meta

%d blogueiros gostam disto: